Com a ascensão de Jesus ao céu imaginamos o que se passa no coração de sua mãe. Ele é o tudo de sua vida. Mas sua fé a animou sempre a realizar até o fim a missão que Deus lhe dera.

Publicado em 10 de maio de 2013

 Seu sim inicial a acompanhou cada dia, para executar o projeto de Deus. Afinal ela nunca perdeu a graça do Senhor. Por isso, mesmo nos momentos mais angustiantes ela confiou no poder divino do Filho. Agora que a saudade a faz esperar para encontrá-lo no céu, certamente ela, mesmo no sentimento do ainda não poder vê-lo por ter ido ao Pai, continuou a missão de animar os discípulos e as discípulas a se manterem na fé e assumir a missão de ensinar a todos o que Ele mandou!

Quantas mães têm saudade dos filhos que estão longe! Mas a que mais aperta o coração materno é ver filhos perto fisicamente, mas longe de uma vida de sentido e realização! Não é fácil ter filhos dependentes químicos, outros desertores de caminho que leve a um ideal de vida acima de vícios, de engano, corrupção, falta de ética, de moral e com desserviço à família e à sociedade. Quantos se distanciam dos valores de grandeza de caráter, de altruísmo, de vida realmente cidadã!

É evidente que os pais não podem impor aos filhos o que eles mesmos querem. Devem sim, dar o exemplo de quem é coerente com o ideal buscado na honradez, no que é naturalmente digno e bom, na vida iluminada pela fé e pelo amor de Deus. Ensinar, desde o berço, o beabá humano e cristão é de suma importância para a formação do que é humanamente digno. A aprendizagem dos filhos depende muito do seu relacionamento amoroso com os pais. Por outro lado, a sociedade influencia fortemente na educação das pessoas. Absorver seu conteúdo depende muito do discernimento ou espírito crítico de quem é estimulado pelos ambientes, pelos meios de comunicação e o convívio com as pessoas. A escola é um fator de forte influência na educabilidade. Professores influenciam positiva ou negativamente para isso. Hoje há até, em alguns textos fornecidos a alunos, o ensino da erotização a partir de criancinhas de tenra idade, como a de dois anos! Que valores queremos apresentar às crianças e aos jovens de hoje? Se os pais não acompanharem o que é ensinado aos filhos, mesmo nas escolas, os mesmos pais um dia vão sentir a saudade de filhos que estarão longe de valores éticos, humanos e cristãos!

Devemos aprender com a saudade de Maria em relação a seu Filho, o exemplo de quem fez sua parte para ajudar o Filho a salvar a humanidade. Ela indica o caminho de Jesus e o objetivo de vida para todos. Basta nos esforçarmos para realizar o projeto de vida coincidente com a proposta do Filho de Deus! Mesmo no sofrimento de verem filhos afastados do bom caminho, as mães vão fazer sua parte e confiar na graça do Senhor, ajudando seus descendentes a encontrarem ajuda para superar seus males. Unem-se também a grupos e entidades que trabalhem por políticas públicas adequadas à superação e ao tratamento de problemas de saúde e justiça social. Amor, ternura e confiança em Deus dão segurança aos pais para melhor assistirem seus filhos e conduzi-los ao caminho da vida de sentido.

Dom José Alberto Moura
Arcebispo de Montes Claros (MG)